• LOGIN
  • Nenhum produto no carrinho.

Entrevista com Mikhail Ryabko

Para Aikido journal

A seguinte entrevista foi conduzida em Toronto, Ontário em 19 maio de 2003. Estavam presentes Mikhail Ryabko, Valerie Vasiliev que serviu como o intérprete, James Williams, Scott Meredith, e o editor do Aikido Jornal Stanley Pranin. As partes grandes dos textos foram transcritas e traduzidas por Pavel Rott do russo para o Inglês e do Inglês para o Português por Nelson Wagner. Você pode conferir a entrevista em inglês aqui.

Stanley Pranin: Muito obrigado por sair da festa e passar seu tempo nesta conversa conosco. É um prazer maravilhoso poder encontrar-se com você. Eu penso ainda mais agora que o Systema está começando ter uma influência grande no mundo das artes marcial. Naturalmente, as pessoas estão muito interessadas nas origens da arte. Porque a maioria das artes marciais, que são populares vieram da Ásia, as pessoas são surpreendidas ao ouvir que esta é uma arte marcial russa. Eu gostaria de compreender um pouco mais sobre como o Systema, isto é, predecessor da arte, foi transmitido de suas raízes na cultura da Rússia.

Mikhail Ryabko: Eu fico um pouco surpreso que as pessoas nunca ouviram sobre as artes marcial russas e que estão surpresos ao ouvir que existem. Olhe o território enorme que a Rússia ocupa. Alguém teve que proteger este território. Na Rússia havia sempre os guerreiros que eram conhecidos pela sua bravura. E se você olhasse o desenvolvimento da Rússia nos tempos remotos, as cidades foram construídas perto monastérios e de rios que eram as origens dos primeiros estabelecimentos. Não havia nenhuma estrada, assim as pessoas viajavam no rio de barcos no verão e nos trenós no inverno. Toda a infra-estrutura dos primeiros estabelecimentos vieram dos monastérios. Eles forneceram os meios de subsistência para as comunidades. Todas as funções da vida foram centradas neles. As crônicas foram gravadas nos monastérios e a ciência e a medicina também. Se os estabelecimentos precisassem de proteção, os monastérios eram os que forneciam a proteção. As armas e as armaduras eram feitas nos monastérios. As polícias e as prisões eram situadas também além das muralhas dos monastérios. O correio também era assegurada por monastérios. Eram como mini Estados.

E isto durou por muitos séculos na Rússia . Passaram apenas mil anos desde o tempo que a Rússia entrou no cristianismo, mas antes disso a nação existia. Mesmo agora nós podemos encontrar um monastério chamado “Otoroch” (que em russo significa”um jovem homem”). Acomoda as crianças que não têm nenhum lugar para viver. As crianças órfãs eram trazidas para os monastérios e ensinadas a bíblia. Alguns foram ensinados a defender o monastério porque nem todos se transformavam em um monges. Algumas das crianças que foram trazidas para os monastérios remanesceram lá como monges e algumas protegeram o lugar. Não era o número de pessoas que forneceram tal proteção, era a qualidade do treinamento que tiveram. Eram sempre bem equipados e vestidos. Eram vestidos e alimentados dentro do monastério e também recebiam salários. Não havia muitos guerreiros protegendo mesmo os membros elevados da sociedade. Por exemplo, um Conde podia ter seis guarda-costas para protegê-lo, ou um extremamente rico podia ter trinta.

Certamente tradições guerreiras existiram. Havia muitas guerras, naturalmente, incluindo algumas guerras civis. Algumas guerras eram guerras cristãs que envolviam a fé ortodoxa russa. Aqueles guerreiros lutariam por anos e anos defendendo sua terra natal, voltavam aos monastérios para rezar pelos pecados que cometeram durante o tempo de guerra e terminavam suas vidas nos monastérios. Assim este é um cenário típico e de onde as tradições marciais vêm. Naturalmente, quando a Revolução Russa ocorreu foi muito cruel e muitos daqueles monastérios sofreram. Os monges foram mortos. Suas bibliotecas foram queimadas. O comunismo é uma forma de religião também, mas que eliminou todas as religiões restantes.

Para falar um pouco mais sobre guerreiros, os Imperadores na China e no Japão tiveram os guarda-costas russos em torno deles por aproximadamente seiscentos anos. Muitos mestres das artes marciais chineses disseram que aprenderam suas artes dos guarda-costas do Imperador, mas não mencionam quem aqueles guarda-costas eram.

Você pode ver muito dos imigrantes da União Soviética,  ensinam  várias artes marciais no exterior. Algumas artes ensinadas de combate corpo a corpo na América após a Revolução de 1917. Hoje, há uma abundância de russos que servem em exércitos diferentes, por exemplo, na Legião Estrangeira francês.

Algumas pessoas não podem gostar de ouvir tais coisas e haverá muitos argumentos sobre estes pontos. Você compreende, por quê? Eu direi a verdade, naturalmente, mas eu tenho dito estas coisas inúmeras vezes nas entrevistas, mas geralmente não imprimem. As pessoas preferem freqüentemente escutar mentiras do que a verdade. As vezes há muito dinheiro envolvido.

Se você der uma boa olhada, a Rússia compartilha fronteira com muitos países e sempre teve a influência. Um exemplo de um guerreiro russo que ninguém fala é o Ermak *. Ele teve um exército de apenas 200 guerreiros e derrotou um exército de mongóis de cinco mil homens na Sibéria. Foi ele quem libertou a Sibéria.

* Yermak ou Ermak, faleceu em 1584 (?). Conquistador russo da Sibéria; seu nome ocorre também como Yermak Timofeyevich.  Era líder de um grupo de cossacos russos independentes. Iniciou sua carreira pilhando os navios do czar no Volga e incorporou-se mais tarde a serviço de uma família mercante, os Stroganovs. Enviaram Yermak em uma expedição para proteger suas terras na Sibéria ocidental do ataque por tribos locais. Avançando em barcos no rio, Yermak e seu grupo cruzaram os Urais e com força superior de armas de fogo conquistou em 1582 a capital dos Tártaros Khanate de Sibir. Ele colocou o território conquistado sob a proteção do czar Ivan IV e pediu-lhe ajuda. Yermak foi morto em um encontro com os Tártaros, e suas tropas foram forçadas a recuar. Entretanto, as tropas russas retomaram o território em 1586.

Nós perdemos muito durante a Revolução. Tentaram eliminar as raízes do povo. E isso é porque nada foi feito fora da Rússia após isso. Você pode falar muito sobre isto. Há muitos exemplos. Há santos guerreiros da Rússia e seus restos não se deterioram e ainda está lá em Kiev e em Kiev-Pechersk- Lavra, por exemplo. Seu restos estão lá desde o século 12.

James Williams: Eu tenho uma pergunta. Qual era o nome do monastério que os monges defenderam… onde havia 100 monges para defender o monastério, no século 12?

MR: Aquele é o monastério de Troitsko-Sergieva Lavra. * Há sempre cem monges lá, mesmo agora. Os guerreiros poloneses tentaram conquistá-lo por dois anos. Os exércitos de milhares atacaram-no mas não puderam derrota-los. Foi por volta do século 14, não me recordo o certo exatamente.

* Monasterio de Troitsko-Sergieva Lavra: Uma das vistas mais mágicas na Rússia é o monasterio de Troitsko-Sergieva Lavra (a Trindade – Santo Sergius Lavra). As abóbadas de cebola de ouro e no azul brilhante com estrelas de ouro vêm a vista da última ascensão na estrada de Moscou. O monastério é um dos locais mais importantes da peregrinação na Rússia e um de somente quatro na igreja ortodoxa russa a ter o honorífico “Lavra.” É parte do anel dourado, um grupo das cidades russas antigas ao nordeste de Moscou que são, de fato, museus a céu aberto. O complexo do monastério, iniciado em 1340 por St. Sergius de Radonezh (o maior santo da igreja ortodoxa russa), compreende as igrejas, as catedrais e os edifícios monásticos que estão mais uma vez em uso. Troitsky Sobor (catedral da Trindade) é uma das igrejas mais antigas e mais finas (1422-23) e com ícones pintados por Rublyov, que é agora e possível vê-los na galeria de Tretyakov. O monastério está a 80 quilômetros (50 milhas) ao norte de Moscou.

SP: Você estudou esta área de Historia ? Você parece ter muito conhecimento.

MR: Eu estudei um pouco, não em grande detalhe, mas eu estava interessado. A informação vem naturalmente quando as pessoas estão interessadas. Alguém poderia fazer uma pesquisa mais completa e há naturalmente toneladas da informação.

Valerie Vasiliev: Ele mesmo viajou para muitos destes monastérios. Este é seu tipo favorito de viagem, aos locais santos.

SP: Você falaria um pouco sobre a Revolução e quando o governo tomou o controle das técnicas marciais que eram ensinadas? Que aconteceu durante esse período?

Ryabko com a intérprete Valerie Vasiliev

VV: Aqueles que tiveram este conhecimento, naturalmente, estavam ainda lá. Os comunistas tentaram fazer a parte religiosa ficar fora disto. Aqueles que protegem o país não se importam com quem governa. A igreja ora para cada alma. Durante a segunda guerra mundial, foram também guerrear e lutaram da melhor maneira que poderiam.

SP: Quando Mikhail começou primeiramente a receber o treinamento quando criança, foram ensinadas apenas as habilidades físicas ou recebeu o treinamento no significado religioso da arte também?

VV: Mikhail foi catequizado quando criança mas não foi introduzido à religião. Era um período em que a religião era realmente negada e as crianças eram geralmente catequizadas em segredo. Ele acreditava em Deus e foi compreender, mais tarde, sobre a religião.

SP: Foi ensinado de forma particular ou como parte de um grupo?

VV: Seu pai e seu avô o ensinaram.

JW: Você continuou a treinar por completo nas técnicas físicas na sua adolescência ou você começou a fazer mais tarde o treinamento psíquico?

MR: Os dois vão de mãos dadas. Todos os exercícios têm aspectos físicos e psicológicos e vai muito além. Você deve compreender que se uma pessoa começar apenas a levantar pesos é um desperdício de tempo. Se uma pessoa trabalhar duramente para ganhar sua vida então o trabalho está justificado.

SP: Quando você começou a ensinar o systema fora das forças armadas?

MR: Eu tenho ensinado por toda a minha carreira militar. Eu não a anunciei nem fiz propaganda. Eu treinei as pessoas em silêncio em grupos e individualmente. Aconteceu assim, as pessoas me encontravam sempre de um jeito ou de outro. Eles veem e fazem perguntas. Se as pessoas pedirem, você da à elas… tanto quanto podem tolerar! (risos) bem, Vladimir veio então ao Canadá, começando ensinar, e por muito tempo eu não lhe dei minha permissão para nomear-me como seu professor.

SP: Quando você se aposentou do serviço militar?

MR: Quando a situação na Rússia havia mudado e já não havia muitas limitações.

SP: Você falaria como você conheceu o Vladimir e o que você viu nele como um estudante?

MR: Vladimir é pessoa muito interessante. Tinha algo nele. A primeira vez ele veio com a ideia de me derrotar!

SP: Ele se lembra disso?

VV: Eu acho que sim! Ele me disse que na maior parte dos primeiros anos de treinamento ele tentava sempre pegar o Mikhail em momentos desprevenido, tentava sempre encontrar uma maneira derrotá-lo.

SP: O Vladimir era receptivo aos aspectos religiosos e filosóficos de treinar após algum tempo?

VV: Sim, mas ele não tinha sido catequizado ainda quando começou a treinar com Mikhail. Batizou-se muito mais tarde em Israel.

SP: Recentemente eu tenho compreendido que o que normalmente as pessoas chamam de “cortesia” ou “bondade”, não é simplesmente uma questão moral mas pode também ser visto em um sentido tático. Ter estes comportamentos é uma maneira eficaz viver vida.

MR: Qualquer atitude de vida e das artes marcial que não destrói corpo, alma, família ou nação de uma pessoa são um propósito correto.

SP: Quando eu comecei primeiramente a compreender mais sobre o Systema, naturalmente, eu fiquei muito impressionado pelas habilidades que você demostrava, mas por comentários de James’ sobre seu caráter, Mikhail, e de Vladimir, foram muito importantes para mim. Nesse sentido, eu vi coisas em comum com o aikido como o ênfase no sistema ético e no sistema marcial.

MR: É isto que faz ser próximo do systema russo, o correto propósito.

SP: Eu mesmo não sei a resposta mas eu penso que o potencial para a influência do Systema nas artes marciais em general e então na sociedade como um todo é muito grande. Você pensa em termos do potencial do Systema influenciar a sociedade?

O editor Stanley Pranin posa para pergunta

MR: Eu não fiz como um objetivo principal conseguir tais resultados no mundo. Mas eu realmente gostaria de fazer com que as pessoas que fazem outras artes marciais compreendam o que estão fazendo e onde estão indo. O que muitas artes marciais provocam nas pessoas é orgulho, ego, crueldade, e agressão. O mundo não é muito amável. Destrói a alma de uma pessoa.

O orgulho destrói a pessoa. Quaisquer coisas que destrói a alma de uma pessoa não é bom. As emoções negativas não estão corretas. Olhe a biomecânica de outras artes marciais. Algumas destroem o corpo de uma pessoa. Se você bater constantemente em objetos duros você destrói suas articulações. Você terá artrite. Este tipo de treinamento destrói o corpo de uma pessoa. A pessoa terá dor constante em suas articulações. Se uma pessoa estiver irritada e nervosa não é bom nem para sua família ou país.

Nós temos um menino aqui de somente dez anos que esta fazendo karate. Eu posso mostrar como seu ombro direito já esta danificado. Qualquer coisa que destrói a alma de uma pessoa, orgulho, vaidade e raiva, não são de modo algum bom. O mesmo aplica-se no nível físico. Ninguém necessita uma pessoa doente, mas é muito mais fácil controlar uma pessoa doente.

Chutes no karate que torcem a articulação e põem a jarticulação para fora, danificam-na extremamente. O osso sai da articulação e causas micro-fissuras na cápsula da articulação. Isso destrói a coordenação do corpo e produz a dor nas articulações. Por que alguém praticaria dessa maneira? O que você deveria fazer em vez disso é fortalecer as articulações. As técnicas de golpear que nós aprendemos nos seminários envolve o fortalecimento das articulações, aquecimentos e alongamento, e então o procedimento de golpear.

Por exemplo vamos falar de quebrar objetos duros como tijolos e taboas. Imagine que alguém realmente criou estes objetos; alguém fez os tijolos e as taboas em uma fábrica. Então por que alguém iria destruí-los? Para quê? Por que devemos quebrar algo criado por outro ser humano? É realmente uma filosofia interessante! Alguém se pergunta quem dá esse poder e energia de quebrar objetos. Que força dá este poder?

SP: Uma das coisas que mais me impressionaram foram os estudantes do Systema. Eu acho que os alunos de Mikhail e de Vladimir os refletem muito bem como pessoas. São pessoas muito úteis, muito amigáveis, boas.

MR: Tem um ditado que se diz que o que quer que a árvore seja, é aquilo que a fruta será.

SP: Eu me recordo de ter ouvido de James que há uma possibilidade do Systema seja ensinado nas escolas em Moscou.

VV: Isto é o que o Mikhail está trabalhando em seu ministério. Estão colocando os Ministérios da Saúde e da Educação envolvidos neste projeto. Este é o projeto que está indo em pauta exatamente agora. Não é simples. Não são todos que gostam desta ideia, especial aqueles que trabalham para as forças escuras.

SP: existem forças escuras em todos os países.

James Williams escuta a resposta

MR: Deus irá nos ajudar.É por isso que precisamos de guerreiros. Esta é uma pergunta difícil – o governo após a Revolução, quis as habilidades de combate dos monastérios. Naturalmente tentaram controlar estas artes. Por exemplo, há o “sambo” – e dizem que o sambo veio do judô, mas realmente há duas direções diferentes no sambo – uma está na competição e a outra sambo de combate. O judô não tem esse componente do combate. Mas o sambo não foi convertido em um esporte olímpico.

JW: Eu não sei o bastante sobre o monge Rasputin, se era uma pessoa boa ou má, mas ele adquiriu muito de seu poder do treinamento nos monastérios? Obviamente ele era muito duro de matar.

MR: Rasputin é uma figura muito controversa. Certamente tinha algo. Mas que forças controlavam ele – bem ou o mal- Eu não sei. Mas ele tinha poder. Deus resolveu as coisas.

SP: Você espera que com seus esforços e os esforços de outros, alguns dos políticos podem iluminar-se e usar esta ferramenta maravilhosa para o bem?

MR: Há muitos coisas positivas acontecendo na Rússia agora. É muito possível que este tipo de coisa possa acontecer. Eu creio plenamente no renascimento e reconstrução de tudo, na Rússia, na América, na Europa, e na Ásia. Eu sou pelas pessoas e não contra qualquer coisa. Eu estou para o bem. Eu estou para a justiça. As pessoas são as mesmas em toda parte – na América, no Canadá e na Rússia. Todos têm uma família e os filhos.

Não importa o que nós dizemos, dentro de nossas almas nós somos pessoas amáveis. Ao menos nós não desejamos o mal naqueles perto de nós, em nossas crianças. Nossas pessoas classificarão para onde iremos com o treinamento… terminar acima no céu ou no inferno!

JW: Eu gostaria de perguntar sobre as técnicas da espada que você me ensinou na Rússia no último verão. Seu pai ou avô ensinou também a espada?

MR: Aquelas técnicas que eu mostrei eram as mais simples… as primeiras coisas ensinadas, mas pareceram para você como técnicas avançadas.

JW: (risos) eram muito boa!

MR: Ser hábil no uso das armas é, para um guerreiro, como ser hábil com uma colher. Eu não me importo que arma você usa – uma metralhadora ou a espada.

JW: Eu estou tentando compreender as raízes do Systema. Os guerreiros não lutavam com suas mãos nuas, mas com armas quase toda a hora. Quando eu vi o Systema primeiramente em seu vídeo “Master of Fighting – Mestre da Luta.” Eu pensei: “Oh, Isto é uma arte de espada!”

MR: Sim, isso está correto. Muitas de nossas técnicas vêm de ser hábil com armas.

JW: É por isso que eu tentei compreender a parte da espada porque é a raiz dos movimentos, das evasões e da suavidade do Systema.

MR: Isso está correto. A armadura russa não eram assim muito pesada e usava-se cota de malha, assim eles tinha de lidar com maioria dos golpes usando seus corpos.

JW: Eu tentei fazer um corte em uma cota de malha usando uma espada o golpe entra até o osso mesmo se a espada não a corte. Eu penso que Michael e eu somos um pouco impares porque nós gostamos deste material velho!

SP: Scott, você tem alguma pergunta particular?

SM: Sim, eu estou interessado no papel das histórias, quero dizer que nós fazemos muito treinamento físico: rolamento, golpes e de sensibilidade, mas as pessoas podem aprender bastante ou até mesmo mais, ouvido histórias de pessoas que tiveram experiências profundas na realidade? São tais histórias, uma boa ferramenta para o ensinamento?

MR: Psicologicamente são uma ferramenta excelente. Por exemplo, nós estamos falando agora e você está adquirindo muita informação e você aprecia. Mas você tem que chegar a esse nível. Primeiramente você faz muito trabalho físico e então você escuta. Igual a uma criança pequena. Como uma criança pequena, correndo, saltando e fuçando, e então quando esta cansada ela se senta e está pronta para escutar! (risos).

SP: O Systema tem aspectos religiosos, filosóficos, e técnicos. Eu sei também que há algumas práticas para a saúde como o banho de água fria. De onde estes vêm e como estão ligados ao systema?

Vladimir Vasiliev e esposa Valerie

MR: Não são somente as pessoas modernas que são espertas, os povos nos passado também eram muito espertos! Sabiam também sobre o Sistema Imunológico. A medicina tem evoluido todo o tempo assim para que as pessoas feridas ou machucadas nas guerras possam ser curadas. Todos os exercícios que nós fazemos devem melhorar a força, a saúde, e a reabilitação.

SP: Você aprendeu estas coisas quando criança ou mais tarde?

MR: Tudo veio gradualmente. Eu não poderia aprender tudo de uma vez. Não há nenhum truque nisto. Tudo vem de suor e de sofrimento. O conhecimento vem essa maneira. Eu tenho um número de cicatrizes que eu ganhei me defendendo contra às armas. Não há um ponto em meu corpo que não foi atingido em uma vez ou em outra. Todos meus erros são visíveis em meu corpo!

SP: No pequeno livreto do Systema, há uma breve menção de um filósofo russo. Era Porfiry Ivanov? Teve uma forte influência em você?

MR: Não, não tem realmente nenhuma influência no Systema. Ele começou uma seita. Algo como um tipo de “dez mandamentos”. Ele dava dez maneiras viver. Apresentou-se como deus. Naturalmente, banhos de água fria são muito bons. Mas o resto da filosofia desse homem não é algo que nós incorporaríamos. Na Rússia, o povo sempre nadou em lagos de gelo e fez banhos com água fria , não somente Porfiry Ivanov! Fazem um furo no gelo e mergulham dentro. E têm-se lavado no poço toda a hora com a água fria congelada. Isso é feito por séculos. Ele inventou sua própria religião a partir disto.

* Porfiry Ivanov (1898-1983). Um asceta russo que se alto proclamava doutor das províncias russas, que morreu em 1983. Ivanov, um místico que se denominava o irmão de Jesus, advogava um estilo de vida acético, envolvendo jejum, banhos de água fria e andar descalço na neve. Conseguiu o status do culto e os centros de seus seguidores espalharam-se em muitas cidades da antiga União Soviética.

JW: Desde que mesmo os comunistas não poderiam doutrinar cada pequena vila, as pessoas ainda assim praticariam estas técnicas marciais dos velhos tempos?

MR: Se você tiver algum dinheiro em sua casa, as autoridades do imposto não encontrarão tudo. E não importa onde você vive, no centro de New York ou nos subúrbios. Você ainda se oculta. A mesma coisa era o caso na Rússia [ para as artes marciais ].

SP: Isto é uma resposta muito japonesa!

JW: U cavalheiro russo de Chicago disse-me que os russos treinavam nos porões e não diziam a qualquer um que praticavam arte marcial porque eram ilegais na Rússia.

MR: Sim, é a mesma coisa em toda parte no centro de Nova Iorque ou de Moscou.

SP: No seu caso pessoal, sua compreensão do Systema tem uma relação muito próxima com sua criação cultural e religiosa que envolve a igreja ortodoxa russa. Você pensa que estes princípios universais podem ser aceitos extensamente mesmo para pessoas com históricos religiosos diferentes?

MR: Por que não aceitariam o Systema? Nós não somos uma seita, nem somos nós que impomos qualquer coisa. Podem pegar algumas idéias do treinamento e usá-las sem necessariamente converter-se à religião. Nós tivemos, por exemplo, aproximadamente 130 pessoas no seminário e talvez somente 10 deles cristãos.

SP: Há algo como os “Dez Mandamentos” do Systema?

MR: Os “dez mandamentos” que Moises trouxe de Deus são nossos mandamentos! (risos)

SP: Ele fêz a lição de casa para nós! Bem, eu esgotei minha lista das perguntas. Esta foi uma entrevista muito estimulante! Obrigado!

Traduzido por Nelson Wagner Santos

15/08/2017

Quer saber mais?

Entre em contato conosco

contato@artemarcialrussa.com.br
Rua Capital Federal 102 São Paulo/sp
11 2368-1027

11 99942-7902

Venha para uma aula experimental!

Assine nossa Newsletter

  Fique por dentro das novidades
© Systema Brazil. Todos os direitos reservados
X